Páginas

31 julho, 2014

A história da básica camisa branca!



Hoje vou lhes trazer trazer mais cultura, conhecimento. Se eu te perguntar agora: Você sabe a história da camisa branca? Provavelmente não vai saber. Eu também não sabia até ter a curiosidade de aprender. Até por que não se aprende nada sem curiosidade, pois não se interessa. E foi o que fiz - é muito interessante. Uma camisa tão básica, ter um história tão interessante.

A camisa branca de conhecemos é carregada de história e quem quer seguir moda, tem que saber sobre isso ou quem gosta mesmo. E para chegar ao como nós as encontramos passou por muitas transformações. Tanto no pensamento das pessoas, quanto no estilo. Que digamos assim, era bem diferente dos de hoje em dia. E a indústria do vestuário deu além do corte, acessórios permanentes para dar mais charme.

Vem conhecer mais:

A camisa branca surgiu no Egito e tinha corte reto, com abertura somente para a cabeça.  Roupa primária.
Foi o tempo e a camisa branca começou a ser chamada de Túnica Manicata. Com comprimento até os joelhos, corte para os braços e usada com cintos. Era considerada roupa de baixo, só podendo aparecer sob o decote do vestido.


Anos depois, 1880, a camisa branca foi começando a ser usada e exibidas. Sendo usada por certos trabalhadores femininas, como: Governantas, datilógrafas, balconistas ... sendo usada por baixo, aparecendo a gola e o aba da manga e com os homens a mesma coisa, só que em outro tipo de traje de trabalho.


No século XX era peça importante no guarda-roupa feminino das norte-americanas. Sendo muito usada com saia rodada. Por deixarem o as mulheres com um ar mais independente e prático. E não serem românticas.



Se tornou ícone da moda graças a estilista Coco Channel: Mulher que revolucionou o estilo feminino, usando roupas masculinas (na época). Sendo uma das primeiras mulheres á reconhecer a graciosidade da peça e a usando. Uma blusa simples, básica, estilo colegial e versátil. Se tornou marca registrada do novo modo de vestir feminino.


Após um tempo a camisa passou a ser marca registrada ao estilo marinheiro e depois foi adicionada listras azuis ou pretas. E também das roupas de tenistas e golfistas, só para os praticantes do esporte. E em 1926 passou a ser associada ao estilo de mulheres a mulheres intelectuais, do grupo Bloomsbury.




Depois do período pós-guerra e surgiu-se o estilo andrógeno ou à la garçonne, com elementos masculinos.
Usando camisa branca com terno e gravata. Normalmente nas cores: Branco, preto, marrom e cinza.


Na década 30 foi representada por grande influência das estrelas do cinema. Hollywood influenciou a mundialização da camisa, já que estava na época da invenção e criação na moda.


Na década de 1940 a camisa branca foi muito utilizada por jovens da época. Eles começaram a usar com calças jeans, camisas de seus pais. O estilo preferidos dos adolescentes, continuando popular até 1950.


Na década de 1950 a camisa branca preferida eram as pregueadas, engomadas e passadas. Com botões fechados, para passar uma imagem mais educada. Junto ia um lenço ao pescoço. Em 1952 surgiu a versão da blusa "blusa Bettina" criada por Givenchy. Possuía mangas cobertas babados enormes e gola reversível.
Após a Segunda Guerra Mundial, os costumes e comportamentos da sociedade mudou. As mulheres passaram a ser mais independentes e a peça era importante no guarda-roupa feminino.


No anos 60 foram para nos cinemas, em filmes de colegiais. Combinadas com jaquetas, coletes, calças largas presas. Causou grande impacto na moda jovem, revolucionando o modo de vestir nos colégios. E saindo para as ruas, algumas referências. Foi então que começou a moda a se ligar ao comportamento da pessoa, e peças se integrando para um certo estilo.


Anos 70 a moda foi mudando: onde foi bastante transformada para o agrado das pessoas. Com muitas mudanças, na moda. Peças como a camisa branca a ser peças simples. Era inspirado num estilo esportivo, sem enfeites e usada como como base para uma sobreposição.

No inicio dos anos 80, ganha mais uma repaginada de estilo. Em versões ganhou ombreiras e voltou a ser uniforme de trabalho. Que traziam referências no "estilo eduardiano" com rendas, bicos e babados, passando um ar de romantismo. Nos meados da época,  não teve tanta força,por que o mercado era mais voltado para as cores (de preferência vibrantes).


No anos 90 volta a camisa branca volta com força ao mercado. Produziram as camisa brancas mais sexy e estilosos. Marc Jacobs e Narciso Rodrigues fizeram suas versões únicas das peças, com propostas modernas. Suas criações valorizavam a feminilidade da mulher de maneira untando parecida. Misturavam uma camisa branca mais atual com referências de modas passadas. Como sai rodada até os joelhos e sapatos de salto alto, clássicos da moda americana.


Hoje me dia a camisa branca mudou de corte e consequentemente de nome para cada. Regatas, camisetas ... e enfeites. As golas por exemplo estão mais elaboradas para dar mais charme e se não tiver gola, colocam um acessório identifico. Aplicações com perolas, tachas, spikes, etc. e rasgos bem elaborados; ou seja, com os mais diversos desenhos. Essa é a era o DIY, em português, Faça Você Mesmo. Que de certa forma revolucionou o modo de vestir das jovens e adultas. E também a preservar o meio ambiente e seu financeiro, já que não é preciso comprar roupas novas para se ter uma.

Em sua trajetória foi passada por várias épocas e gerações. Sendo muito modificada para ser aceita pelas pessoas. E mudando o modo de pensar, "roupas de baixo" para roupa para qualquer ocasião e estilo. Sendo muito apreciada das mulheres. Usada como peça  de contraste, para não "carregar" o look e nos dias que quiser ser básica e estilosa.